Razöes do Näo

No próximo referendo sobre o aborto votaremos Näo. Aqui se tenta explicar porquê.

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

A minha resposta

Chegámos ao fim da campanha. No Domingo, os portugueses terão oportunidade de, em plena liberdade, responderem SIM ou NÃO à pergunta que lhes é feita.
Considero que a melhor resposta é NÃO.
.
1. Porque entendo que a defesa da vida humana é um princípio civilizacional basilar, oponho-me a tudo o que possa significar o direito de alguém atentar contra a vida de outrém.
2. Porque entendo que, a partir da concepção, estão reunidas todas as condições para o desenvolvimento vital de uma pessoa, que se prolongará desde esse momento até à sua morte natural. Não reconheço, portanto, que possa existir legitimidade numa intervenção que vise interromper este processo, fora das razoáveis excepções, confirmatórias de toda a regra.
3. Porque os direitos da mulher, que reconheço, não incluem o direito de dispôr da vida do ser humano gerado.
4. Porque a pergunta a referendo propõe a total liberalização e não apenas a despenalização. Isto significa a total desprotecção da vida intra-uterina, o que é, a meu ver, uma gravíssima irresponsabilidade.
5. Porque liberalizar e propôr o aborto como um serviço gratuito do Sistema Nacional de Saúde, a simples pedido, é legitimar um acto que deve ser, por sua própria natureza, extremo e excepcional.
6. Estas convicções não me impedem de compreender a complexidade do papel da mulher e o seu sofrimento, bem como algumas situações limite que devem ser encaradas com humanidade. Desta humanidade devem derivar, em meu entender, dois princípios orientadores:
a) A mulher não deve ser penalizada quando o aborto é feito em situação de extrema necessidade. Isto supõe a despenalização, mas não a descriminalização. Defendo, portanto, que o aborto possa ser encarado como "crime sem pena".
b) As situações limite - malformação do feto, risco de vida para a mãe e violação - já são contempladas na actual legislação, pelo que não necessitam nova cobertura legal.
.
Os problemas complexos não têm soluções simples. Este é, em meu entender, o ponto de equilíbrio entre os princípios fundamentais que perfilho e o sentido de humanidade que defendo. E que me fazem responder NÃO.

Nota final: atendendo ao periodo de reflexão que deve anteceder a votação, dou por encerrada a minha colaboração nesta campanha.

1 Comments:

Blogger Bruno Vasconcelos said...

Concordo com todos os pontos que foca para se votar Não, ou não seria eu um apoiante convicto! Mas apesar de respeitar a sua opinião de dar por terminada a sua coloboração para o periodo de reflexão, penso e tenho a certeza que todas as pessoas já sabem e têm a noção naquilo que vão votar, agora devemos é incentivar as pessoas a irem exercer o seu direito de voto, porque devido ás sondagens que têm vindo a público, pode fraquejar o Não, devido a se pensar que o Sim, irá vencer.
Portanto e depois de ter ouvido o Secretário Geral do PCP, ter vindo dizer para que depois as 24h de hoje se continue a campanha, penso que devemos continuar nós também! Parabéns pelo bom trabalho efectuado!

8:18 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home